Doceangel

A meu ver, a palavra-chave pra se explorar nossa sexualidade desta forma é só uma: consentimento.
Se as partes envolvidas estão de acordo, que mal tem?
"Angel"

sábado, 6 de abril de 2013

Do blog da Sinhá Moça.





 O Dono tem o direito e dever sobre as amizades e decisões da sub. E caso não aceite alguma amizade ou contato seu, ele lhe dará a resposta certa depois de analisar cada contato. Ele sabe o que você deve desejar ter, e como deverá se comportar em qualquer situação.
A mulher submissa se dedica faz de sua vida a satisfaço do Dono, pra isto não medira esforços. Ele poderá querer ultrapassar seus limites, até mesmo para testar sua submissão!
A submissa não deve estar nem tão perto nem tão longe, deve estar na medida do desejo de seu Dono, se submetendo sem medida e ficar na vida cotidiana de maneira discreta
O Dono é livre, quem não é livre é a submissa. Não tente tirar a liberdade do seu Dono, jamais o sufoque. Fale apenas após ter permissão ou após receber ordens para falar. A ideia dessa relação é sua felicidade na satisfação do seu Dono.
Ser submissa é desejar ver o Dono com o rosto de lembranças de cada sessão, é não pensar na solidão apenas espere que Ele venha e te tire a solidão.
Ser submissa é amar quando Ele briga, quando assopra, quando bate, quando reclama, quando diz da sua importância e principalmente quando Ele reconhece e acredita em sua entrega.
  A submissa ama as broncas e a cada elogio da mesma medida, ela suporta a distancia e deseja que seu Dono, reconhecendo que Ele esta bem, pois se assim não fosse Ele a solicitaria.

  Extraído do Blog Sinhá moça.
 Postado por{luna liberta}DONO DE ALMAS.
  iMAGEM gOOGLE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus gozos aliado aos meus prazeres.